1/1/2020

Cônjuge que pratica abuso fisico - Série: os 10 comportamentos que destroem os melhores casamentos

Não perca a terceira edição da série 10 de comportamentos que destroem os melhores casamentos. Aprenda a agir diante deles.

Contenido en Portugués
Comparte este artículo con tus amigos:
Compartir
0
+1
LinkedIn
0
WhatsApp
Cônjuge que pratica abuso fisico

“Ela se apaixonou por um homem, embora a família não gostasse muito dele. Admitiu que ele às vezes era bastante bruto; mas pensava que era o jeito dele. Queira muito se casar e acreditava que ele era o homem da sua vida.

Depois do casamento, eles se mudaram rapidamente da cidade para um lugar onde o marido havia conseguido um bom emprego. Alguns anos depois, ela era uma jovem mãe repleta de medos.

Estava sofrendo de abusos físicos tão severos que a levara varias vezes ao pronto-socorro.

Os pais dela não sabiam de nada do que estava acontecendo. Ela não trabalhava e não tinha amigos.

Financeiramente dependendo do marido, era praticamente uma prisioneira em sua própria casa, sentindo-se desesperada e indefesa”

Historias como estas são registradas diariamente, a violência domestica, ou violência do parceiro intimo, afeta milhões de mulheres e homens a cada ano.

Nesta matéria vou concentrar no cônjuge fisicamente abusador. Abuso físico é qualquer ato que inflige dano corporal ou tem intenção de faze-lo. Pode consistir em bater, chutar, empurrar, sufocar, jogar objetos ou usar uma arma.

A severidade do abuso físico pode variar de um tapa na face ao homicídio. Se o abuso verbal pode matar o espirito, o abuso físico pode terminar matando a pessoa.

O ciclo do abuso

Pesquisas apontaram que o abuso físico apresenta um ciclo de três fases.  

  • Primeiramente, existe a fase do aumento da tensão. É o período no qual o abusador experimenta uma série de irritações, expressa reação verbal cheia de irritações.
  • A seguir vem a fase da explosão; quando o abuso físico acontece de fato. O abusador lança agora seu comportamento agressivo sobre o cônjuge. Essa fase termina quando o ataque para. Com ele, vem uma redução na quantidade de tensão.
  • A terceira fase é a fase do remorso, frequentemente chamada de “fase de lua de mel”. Depois da explosão, existe um período de relativa calma. O cônjuge abusivo pode pedir desculpas copiosamente, demonstrar bondade à esposa e prometer que o abuso nunca mais acontecerá. É comum que tal comportamento se desenvolva a partir de um senso de culpa em razão do dano infligido, assim como pelo temor de perder o cônjuge.

Durante esta fase, o cônjuge abusivo pode de fato, acreditar que jamais agirá com violência de novo. O parceiro frequentemente quer acreditar nele e, assim, permanece no relacionamento.

Durante esse tempo de “maquiagem”, o relacionamento pode ser melhor que em qualquer outro período da vida dos dois; mas o cônjuge abusador terminará se irritando de novo. A tensão começará a aumentar e o ciclo será repetido.

Porque o abuso continua?

Na grande maioria dos casos, é o marido quem abusa da esposa; contudo, há casos em que as esposas abusam fisicamente do marido. Normalmente, as mulheres deixam que o abuso continue por meses, até mesmo anos.

De fato, estudos indicam que quanto mais severo é o abuso, mais tempo leva para que a mulher que foi vítima deixe seu parceiro.

Porquê esposas espancadas esperam tanto tempo para agir?  Vamos analisar alguns dos fatores comuns.

Normalmente, os episódios iniciais de violência começam durante o primeiro ano de casamento. No início, a esposa pode culpar a si mesma, pensando que, se tivesse agido de maneira diferente, seu cônjuge não teria ficado violento. O marido normalmente sente remorso, e a esposa o perdoa.

É muito comum que, no momento em que percebe que o abuso é serio, ela se sinta surpresa e sem esperança. Muitas esposas espancadas cresceram em lares onde havia certa medida de violência física. Assim, nos primeiros estágios, ela de certa forma, aceita o comportamento abusivo de seu marido. Se for esse o caso, sua tendência será de se culpar pelas explosões de seu marido.

Ela também pode sofrer de baixa autoestima, adquirida durante a infância. Se for esse o caso, sua tendência será de culpa, e ela tentará desesperadamente satisfazer as necessidades dele e mantê-lo feliz.

Algumas esposas espancadas são salva-vidas. Elas encontram seu valor próprio em ajudar aqueles que passam por necessidades. Muitas esposas de maridos abusadores foram primeiramente atraídas a seu cônjuge por causa das necessidades do homem, de quem alguém pudesse cuidar dele. A esposa, em geral, gosta do relacionamento quando o abuso não está ocorrendo. Ela se prende ao lado mais calmo do marido porque ele ainda satisfaz algumas das necessidades que ela tem de ser amada.

Outra razão pela qual algumas esposas que sofrem abuso procrastinam a decisão de agir contra esse comportamento do marido é que elas se isolaram de familiares e amigos.

O medo é outro fator que impede que a esposa que sofreu abuso tome alguma atitude. Ela sabe o que seu marido fez no passado e teme que, se entrar com contato com a família, pastor ou policia o abuso será ainda pior.

É comum que essas esposas sejam emocional ou economicamente dependentes do marido.

Existe alguma esperança para milhares de mulheres que sofrem abuso físico do marido? A realidade da vida oferece alguma esperança genuína?

Creio que a resposta é sim. Uma esposa que sofreu abuso pode se tornar uma agente de mudanças positivas no casamento, mas não acredito que possa fazer isso sozinha. Ela precisará da ajuda de um ótimo profissional, do apoio da família, autoridades e amigos.

Quero reforçar mais uma vez que não acredito que um cônjuge que tenha sofrido abuso durante um longo período de tempo seja capaz de dar passos construtivos sem a ajuda profissional. Insisto com você: se está num casamento onde há abuso, busque tal ajuda imediatamente. Valerá todo o tempo, esforço e oferecera maior potencial para um resultado positivo em seu casamento desesperado.

Tome o primeiro passo pela sua recuperação, não permita que tudo aquilo que te levou tantos anos construir se desvaneça, complete o formulário para pedir ajuda.

É hora de agir. Lembre-se de que você não pode mudar seu cônjuge, mas isso pode influenciá-lo. Você não precisa passar por essa dificuldade sozinho, quando se sentir em um casamento desesperado, procurar ajuda de um profissional que possa ajudá-lo, geralmente o problema é tão sério que nenhum dos cônjuges pode tratá-lo sozinho, lembre-se de que o amor é a ferramenta mais útil. poderoso

Solicita una consultoría gratuita

¿Tienes problemas conyugales que están acabando con tu felicidad y la de tu familia? Hablemos sobre tus problemas y creemos juntos un plan de acción para solucionarlos.

Solicitar consultoría

También te puede interesar:

Contenido en Portugués

Não perca a quarta edição da série 10 de comportamentos que destroem os melhores casamentos. Aprenda a agir diante deles.

Contenido en Portugués

Não perca a quarta edição da série 10 de comportamentos que destroem os melhores casamentos. Aprenda a agir diante deles.

Contenido Exclusivo

Registre tu correo para recibir contenidos exclusivos sobre
desarrollo personal y profesional.

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Comparte este artículo con tus amigos:
Compartir
0
+1
LinkedIn
0
WhatsApp